quarta-feira, 25 de abril de 2012

GLÓBULOS

liberto meus glóbulos brancos
e os vermelhos
cortando a minha face no espelho
uso a lâmina d’água
da esquerda para a direita
do corte emanam mágoas
este lado que me aceita
entre a parede e a porta
o único espaço que me conforta
mas não suficientes
para os meus glóbulos brancos
nem os vermelhos
eles atravessam o espelho
cruzam as paredes do banheiro
e enfeitam um céu sem cor
nem brilho


Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida usa palavras e delas se defende se transforma em estátua quand...