quinta-feira, 18 de abril de 2013

CHAVES

meu coração
cheio de cicatrizes
pendurado no armário
o temor tem um cheiro escuro
cabe na minha face
pendurar raízes antes do tempo
é melhor que mover-se
as paredes onde caibo
são de sonho
a cabeça de algum morto
ressona independente do corpo
aos que ainda comovo
deixo as chaves
aos que me vertem
finjo que sou um rio
e espero o mar me esperar

Nenhum comentário: