terça-feira, 9 de abril de 2013

TROPEÇO

um sopro
quase erótico
e o prumo
das saias
cortaram as barras
mais ainda
o vento sem futuro
embrenhado
parecia uma floresta
teus cabelos
grudados no tempo
nos olhos do tempo
que me usou
como tropeço
para não ficar

Nenhum comentário: