terça-feira, 10 de setembro de 2013

O ESCRITOR SEM FIBRA


não adianta
nunca conseguirei
ultrapassar os limites estipulados
alcançar o outro lado
onde a palavra guarda
tudo que é necessário
para tornar o silêncio um intruso
não conseguirei
contar a história sem os personagens
transportar o rio sem as margens
não adianta
minhas fibras estão
perpendiculares ao tempo
e ambos se encontram no infinito

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...