segunda-feira, 11 de abril de 2011

ÁGUA DA PRISÃO

a água da prisão
mina da solidão
e todo poro do companheiro
é mamilo
e todo corpo é dócil
e doce é a água que mina
tal qual estrelas suspensas
do corpo suspenso pelas mágoas
mina a água

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...