terça-feira, 5 de abril de 2011

TEMPO OCULTO

o passado passa mal
espero que morra
o futuro um furo
onde ninguém cabe
o presente
algo que alguém
sente pela gente
a vida é simples
quando desocupa
nos pendura na morte
quando se ocupa
nos solta

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...