sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

FILTRO

do filtro por onde passou o homem
pouco sobrou de poesia
ela atravessa tudo
atravessa os poros os plásticos
atravessa a avenida sem olhar para os lados
atravessa essa página
sem deixar rastro

Nenhum comentário: