quinta-feira, 15 de março de 2012

MANHÃ


o pássaro gargareja a manhã
o mundo arrasta a lagarta pelas costas
o sol dorme de olho aberto
o poeta iludido
com o abraço profundo do poema
demarca o território com lágrimas

Nenhum comentário: