quarta-feira, 28 de março de 2012

PAREDE DE VIDRO

uma parede
de vidro
que surge
de repente
diante de um tolo
assim surge
o poema
diante do meu olho
e no rosto cortado
e no quebrado vidro
sangue misturado
com o outro lado




Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...