quinta-feira, 6 de junho de 2013

ESPERO A NATUREZA PASSAR


uso o sol
como um cantil
a luz molhando a minha camisa
descanso à sombra dos prédios
espero a natureza passar
sobre o meu corpo
em vão
aos poucos me incorporo ao tráfego
escarro carros
excreto aços
estoco corações nos alforjes
quem sabe algum um dia
encontrarei os homens

Nenhum comentário: