sexta-feira, 4 de abril de 2014

O MUNDO SE CURVA DIANTE DE MIM

finjo recitar um poema
diante do espelho
a nuvem me corta pela metade
não preciso sangue para entender a dor
o mundo se curva diante do meu sonho
seus joelhos sobre a minha cabeça


Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...