quarta-feira, 18 de maio de 2011

MERECIMENTO

a chuva não merece
meu corpo sob ela
espremo o sol
sobre a nuvem
guardo o bagaço
para fabricar estrelas
a noite não merece
meu corpo sob ela
desenrolo o dia
sobre o escuro
guardo as estrelas
no poema

Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida ataca palavras e delas se defende se transforma em estátua qua...