terça-feira, 28 de junho de 2011

UM RAMO DIFÍCIL

quando entrei
nesse ramo da poesia
pensei que teria uma vida tranqüila
que eu ficaria sozinho sossegado
mas eu estava enganado
de vez em quando aparece alguém
alguma coisa
e o pior de tudo
surgem as palavras
que me deixam atordoado

Nenhum comentário:

SEDE

 um poema escrito na água cumpre sua função  de sede