segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

POEMA GUARDADO NO OLHO

transfiro o meu suor
para outra posição
antes do meu passo
e após o susto
suspenso parecendo água
com o sal atravessado na garganta
evapora a sombra
pouca coisa movo
meus passos meu suor
este poema
agora boia no teu olho
mas preferes chorar
a ter que entendê-lo

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...