quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

MINHA LUA

há uma lua
para cada poeta
cadê a minha? cadê a minha?
eu sou o chão
onde o escuro desaba
os pés dos cegos
marcam as minhas costas


Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...