quinta-feira, 20 de março de 2014

ARRUMANDO A MESA

arrumo a mesa
como se fosse morrer
não me importo com os papéis antigos
nem com os novos papéis
nem com a antiga sujeira
recolho tudo sem observar
jogo dentro de uma caixa
deixo a mesa pura
sem nada que lembre a minha presença
deixo a luz acesa


Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...