terça-feira, 4 de outubro de 2011

GOLA

o tempo ao redor do pescoço
feito uma gola
às vezes aperta
às vezes afrouxa
o tempo quer
ser mais medonho
do que aparece no sonho
quer na pele
suas digitais
quer a paisagem dos olhos
que não enxergam mais

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...