segunda-feira, 24 de outubro de 2011

TRANSPARÊNCIAS

o outro não é transparente
mas o outro age como se fosse
as veias dos seus sonhos
o sangue por fora dessas veias
o sistema linfático carregando suas sombras
seus segredos de infelicidade e medo
ele pensa que podemos ver tudo isso
e o seu rosto com um aparente sorriso
aprofunda o vão já carregado de água salobra
o mecanismo do abraço falido
é substituído por gritos encardidos
também agimos como se fôssemos transparentes
lançamos nossas tentativas de sorrisos
em meio às lagrimas
e o outro entende absolutamente tudo ao contrário
como também não entendemos

Nenhum comentário: