quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PARA SER SÓ

para ser só basta nascer
o outro sozinho
vai te encontrar no caminho
colar a tua pele à dele
roçar pensando tocar a alma
como se a alma se deixasse tocar
o gozo não vai ser dividido
o choro sairá por cada olho
o abraço não formará um corpo
nunca será a mesma a emoção
nem o pensamento
ou a secreção
para ser só
basta nascer
e alguma coisa entre este momento
e o último
vai te deixar pendurado pelos sonhos
um gancho perfurando a alma
a solidão escorrendo pelos furos
para ser

basta

Nenhum comentário: