segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

CÃO ABANDONADO

o poema corre pela porta
como um cão abandonado
esquece o dono
enche-se de sono e carrapatos
corre riscos
em lugares desconhecidos
e ao ser atropelado
torna-se apenas algo
que foi incorporado ao asfalto

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...