terça-feira, 19 de julho de 2011

CÉU PARISIENSE

não vejo o céu de Paris
não vejo o solo
não vejo pessoas
nem fogo
nem luzes
Paris se vestiu de branco
as pessoas aquecidas
sob o frio
são o sangue dessa cidade
sangue que circula
sem coração

Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...