segunda-feira, 18 de julho de 2011

TRAVESSEIRO DE SOMBRAS

finjo que estou dormindo
ouço os barulhos da casa
o coração no travesseiro
bombeia idéias de sonhos
onde o meu corpo não cabe
saio pelas ruas
com o mundo por dentro
eu deveria ser pequeno
vou além do meu passo
em qualquer abraço me engasgo
sem saber que é um precipício

Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida ataca palavras e delas se defende se transforma em estátua qua...