terça-feira, 12 de novembro de 2013

EIXO MONUMENTAL

multinacionais colorem o conjunto nacional
as colunas retas de Mané Garrincha
a torre de tv que não aparece na tv
o memorial só guarda as iniciais
os livros enfileirados na porta da biblioteca nacional
o futuro defeca museus curvos
as mãos do ateu na catedral
ministérios numa fila que nunca se acaba
os pratos do congresso que nunca são lavados
o supremo cercado de vidros frágeis
o planalto equilibrando o palácio
as curvas sem memórias
equilibra ao fundo a alvorada mergulhada no lago artificial
o corpo do avião bate as asas debalde

Nenhum comentário: