sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O CHEIRO DO MEU PAI

o suor do meu pai
brilhava na tarde
e o seu cheiro de negro
que eu ainda não sabia que era de negro
perfuma agora
a minha memória

Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...