terça-feira, 13 de outubro de 2009

Gravidade zero




o espaço na cabeça do poeta é estrelado
as coisas flutuam
acima do permitido
e finalmente repousam
no indefinido

Nenhum comentário: