segunda-feira, 19 de outubro de 2009

POEMA DE SAMANTHA ABREU

MINHA ÚLTIMA GUERRA



Da minha janela,
todo o espaço que é mundo
(lá daquele canto até o outro),
não me cabe.

Meu peito,
inchado,
está ativando os pinos
de um campo minado.

Dentro de mim
começou a última guerra.


Samantha Abreu

Nenhum comentário:

OXÍMERA E A SUA OBRA

Oxímera construiu um desenho no piso do quarto para isso precisou afastar a cama exibindo assim o lixo que estava ali acumulado ela ...