terça-feira, 22 de março de 2011

OLHARES

então é essa
a palavra
e não há outra
que caiba
pensar o poeta
como um ser
que enxerga
como se o poeta
usasse os contornos
da palavra
pra deixar os olhos

Nenhum comentário: