quinta-feira, 3 de março de 2011

QUASE UMA FLOR

poesia não é coisa
que demore a abrir
quase não tem botão
enquanto pensamos
já está na nossa mão
da raiz ao cume
a inevitável rima
do estrume ao perfume
quase parecida com uma flor
onde a cor
é substituída pela dor

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...