sexta-feira, 11 de novembro de 2011

PARECIDO COMIGO

sei que não vai ser necessário
arrastar meu próprio corpo até o abismo
o precipício mostrando-se mais parecido comigo do que eu
as digitais precisas combinando com as minhas
sou eu o abismo
sempre que me abro dessa maneira
os ventos arrastando os grãos
os vãos abertos são a minha respiração
o aumentativo de tudo é a solidão

Nenhum comentário: