sexta-feira, 12 de agosto de 2011

CHÃO OFEGANTE

ao chão ofegante
que me engole
provoco o seu
descanso
traço antes
do meu passo
gestos de barbante
amarro ao meu corpo
outro espaço
deixo alegre o laço
com as cores do chão
quando morto

Nenhum comentário: