quarta-feira, 3 de agosto de 2011

VELANDO

para a morte na sala
não há remédio
costura-se uma janela na pálpebra
o xarope da lágrima é a linha
e o escuro te completa ao seu redor
minando água
nos passos que se encaixam

Nenhum comentário: