quarta-feira, 14 de agosto de 2013

CHUVA REPENTINA

um sol agudo
perde o rumo e desaba
entre as pedras
a chuva surge do nada
em seu auxilio
galinhas encolhidas
sob as mesas
esperam a chuva passar
de um lado para o outro
com o sol nas costas
seus pés afundam no chão
e em cada marca
o escuro da noite
vai se juntando
até formar outro dia

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...