quinta-feira, 18 de julho de 2013

OS SONS QUE AINDA RESTAM

ainda ouço
o barulho das esquinas
que se desdobravam
nossas sombras juntas
apenas as sombras
não sabiam que era aborto
o caminho que seguíamos
em direção ao som
pendurado entre as ramagens
era uma fruta
parecia uma metáfora
sem palavras
seu cheiro nos embriagou
nossa alucinação
nos devolveu aos esgotos


Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...