sexta-feira, 2 de setembro de 2011

ESPERANDO O GOLPE


eu disse várias vezes
que não viria
mas cheguei
meu pé maior que a boca
agora nada falo
imóvel plantado
parecendo uma árvore
meus gestos vão formando galhos
e o tronco erguido
tornou a cabeça copa
curvo as costas
espero o golpe do machado

Nenhum comentário: