terça-feira, 13 de setembro de 2011

UMA PRAÇA EM HANNOVER

fui ao extremo
como se alguma praça em hannover
fosse alterar alguma coisa
o ar entre as árvores
todo esse espaço
a dificuldade do idioma
um prato colorido sob os olhos
insuportável
essa pele que se forma
entre as pessoas
uma pele sem poros
o suor que não tem pra onde fugir
borra a paisagem
disfarçado de lágrima

Nenhum comentário: