terça-feira, 6 de setembro de 2011

ESSA POEIRA NAS COSTAS

o tempo faz essa poeira
em minhas costas
talvez por isso me confundam
com lagartos
a confusão nas minhas costas
carrego esse peso
o tempo faz essa poesia
em minhas costas
talvez por isso me confundam
com o passado
essa palavra minha hóstia
consagrada

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...