quinta-feira, 15 de setembro de 2011

FOGO

existem medos
onde não se pode
utilizar os dedos
o calor do desamparo
torna o abraço
um gesto raro
as labaredas da pele
não cruza
o que expele
é sonoro
o silêncio
ao redor do poro

Nenhum comentário: