sexta-feira, 23 de setembro de 2011

RALO

ainda não me amarrotou como devia
ainda sobrou o reto
onde guardo o teu calo
como quem desmonta um cavalo
peça por peça
começando pela crina
terminando pelo ralo
onde me escorro
onde me entalo

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...