terça-feira, 13 de setembro de 2011

PROVISÃO DO TEMPO

a poesia sempre dá motivos para a chuva
feita de nuvens carregadas de céu
que diante do espelho
não consegue definir a sua cor
porém se empalha
por todos os lados
pulsa como se possuísse órgãos
e algo parecido com sangue lhe aquecesse
o poeta é feito de água
isento de trovões e raios
a palavra é sua temperatura
sempre age contrário
a todas as previsões do tempo

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...