segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

COISA SEM NOME

às vezes sinto
todas as coisas juntas
e é necessário separá-las
cada coisa com seu nome
e das coisas sem nome
faço poesia

Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...