terça-feira, 7 de dezembro de 2010

CRÂNIO

a nave navega sem a vela
corta o céu do intestino
em busca dessa luz
amalgamada
nem sempre onde
os dentes se mostram
mora a alegria
sorriso não prescinde de carne

Nenhum comentário:

NATIMORTO

  todo poeta nasce morto isso explica sua briga inútil com a vida usa palavras e delas se defende se transforma em estátua quand...