quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

GRAMA

a grama expele verde
o que consegue
sendo inerte
sob a pele o verme
sugando a areia a carne
sob a pele imberbe
barba de terra sem navalha
os pés que se assemelha
a um afago
não passa de escravos
de caminhos desmedidos

Nenhum comentário: