terça-feira, 28 de dezembro de 2010

INCLINADO

a luz sobre o lago
a sombra da luz sobre o lago
sobre o cardume
a luz do cardume sobre o fundo do lago
a sombra do fundo do lago
inclinando o mundo
minha boca na beira do mundo
tento saciar a minha sede
mas a minha sede
não é de luz sombra ou cardume
vai além da seiva da luz
transcende ao negrume
ao dorso escorregadio do peixe
minha sede não cabe no mundo
caberia se eu fosse água

Nenhum comentário: