quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

SOBRE CORTES

certo como a morte
a poesia vem
o que difere é o corte
na poesia o sangue se esvai
sem nenhum corte
na morte é menos sangue e
mais corte
dizem que a morte
abre portas
eu sei que da poesia
não há volta

Nenhum comentário:

AQUELES DIAS DE DESESPERO

  tem dias que bate um desespero uma vontade de arrancar os cabelos até os pentelhos vontade de correr nua pelas ruas ampliar o co...