quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

ESFERAS

a epiderme da rua
envolve o destino
de tal forma
que a bolha de sabão
desfolha-se
rompe o casulo
em direção à claridade
era de pele o frio
era de esfera o vazio
quem me dera
deu porque me perdi

Nenhum comentário: