sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

CAIXA DE BRINQUEDOS

crianças crescem
o olho destila imagens
num cérebro impreciso
o tempo dorme mas não sonha
desperta osso retorcido
nervo imposto
pele de sorriso
adultos são crianças condenadas a envelhecer
adormecem na caixa de brinquedos
do tempo

Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...