sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O VÁRIO

a beleza nunca
esconde o necessário
a transparência do ovário
não ajuda o envoltório
as flores que enfeitam
o mictório
medem desculpas
ninguém tem culpa
da atmosfera do armário
as mãos trafegam
em curvas isoladas
os sons que se afagam
não sabem das crianças
disfarçadas de anáguas

Nenhum comentário:

PELAS RUAS DE SÍTIO NOVO

caminhamos tranquilos pelas ruas de Sitio Novo o córrego e eu entendemos de sigilo escorremos nossos segredos pelo meio-fio até que o sol de...