segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

GERMINAL

Para G.VIEIRA

o amanhã foi ontem
o mundo acabou amanhã
sobraram os fragmentos
necessários para este poema
o poeta que era ontem
nunca será amanhã
agora um homem
conduz seus gametas
entre as frestas da sombra
sob o desastre que o assume

Nenhum comentário: