quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

PÁ DE CAL

abortei meus dentes
no vaso sobre a mesa
troquei as flores
quem se debruça sobre a cova
sonha sorrisos
recebe cal fervida pelas lágrimas
a última visão do céu
é um retângulo distante
por esse motivo e
por mais nenhum outro
é preciso regar o sorriso
guardado no vaso sobre a mesa

Nenhum comentário:

RUA BENFICA

  o mais antigo numa casa antiga é o silêncio divide o corredor com o tempo ambos trôpegos quase abraçados espalham grossas pa...