quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

CORREDORES

as portas se abriram
entrei sem medo
boca do corredor desdentada
paredes taciturnas
caminho que se desmancha
teto empurrando mágoas
o fim que não chega
poderia um cansaço
agora não
poderia uma desistência
agora não
o meu fim sabe
que não vou chegar
a tempo

Nenhum comentário: